quarta-feira, 11 de março de 2020

Oficial: Cacau Menezes deixa NSC TV

Agora é oficial. Depois de mais de 40 anos (incluindo o tempo de TV Catarinense, RBS TV e NSC TV), o comunicador Cacau Menezes deixa a afiliada da Globo em Santa Catarina. O anúncio foi divulgado no fim da tarde desta quarta-feira (11) pela NSC Comunicação e também pelas redes sociais de Cacau. Não há qualquer informação sobre o futuro profissional do colunista. 

Na semana passada, o jornalista Moacir Pereira havia anunciado o rompimento, o que não foi, de fato, concretizado, mas a NSC confirmou o afastamento do colunista um dia depois. Uma semana depois, veio o anúncio oficial. 

Claudio de Menezes, ou simplesmente Cacau Menezes, detinha o título de comunicador mais antigo em atividade da televisão catarinense. Iniciou na telinha na estreia do "Jornal do Almoço" em Santa Catarina, em 5 de novembro de 1979, meses após a então "TV Catarinense" (que virou RBS TV e NSC TV , posteriormente) entrar no ar em Florianópolis. Dono dos bordões como "Põe na tela, amarelo" (que virou quadro fixo no espaço destinado a ele no jornal), "Salve, salve simpatia! Pode crer, amizade! Boa tarde, comunidade!" e também de um estilo (sempre) despojado no ar, seu comentário era um dos pontos altos do “JA”. 

A última aparição, na TV, do colunista ocorreu no dia 21 de fevereiro, sexta-feira de carnaval com o tradicional comentário no "Jornal do Almoço" exibido pela NSC TV Florianópolis, Criciúma e Centro-Oeste. No portal “NSC Total”, a última nota postada por ele foi no dia 29 de fevereiro. Um dos períodos mais turbulentos ocorreu no ano passado, quando um problema no teleprompter o fez “abandonar” o JA ao vivo. Meses depois, no dia que o "Jornal do Almoço" completou 40 anos em Santa Catarina, Menezes ganhou uma longa homenagem produzida pela jornalista Laine Valgas. 

Confira a íntegra da nota, divulgada no espaço da coluna no portal “NSC Total” e para a imprensa: 

 "Após 40 anos de atuação na NSC, o comunicador Cacau Menezes deixa de ocupar seus espaços no Jornal de Almoço e no Diário Catarinense, numa decisão conjunta do profissional com a empresa. No momento de despedida da empresa, Cacau relembrou que durante sua carreira teve oportunidade de fazer uma coluna democrática, na TV e no jornal. Mostrou pessoas que fazem história no Brasil e no mundo, mas que também deu voz a anônimos. 

— Nunca é uma decisão fácil, mas entendo que, o que eu tinha que fazer, eu já fiz — declarou Cacau. O colunista entrou no ar em 1979, no Jornal do Almoço. A partir de 1986, passou a ocupar também as páginas do DC. 

A despedida de Cacau ocorreu na tarde desta quarta-feira, na sede da NSC, no Morro da Cruz, local em que o comunicador atuou durante toda a sua trajetória. 

— Na homenagem que fizemos ao Cacau, em novembro de 2019, ele declarou que esperava ainda ter tempo de parar, descansar e ser reconhecido na rua como o cara que fez diferença na cidade. Ele tem o nosso reconhecimento pelo destaque na história da comunicação em SC — afirmou Mário Neves, presidente da NSC." 

Nas redes sociais, Cacau também se pronunciou:

 “Quarenta anos no mesmo endereço, hoje fui me despedir de um emprego que mudou a minha vida. Saio com a sensação de que fiz a minha parte. Agradecimento a RBS, que abriu as portas e ao diretores da NSC, que entenderam meu desejo de novos desafios, presidente Mário Neves e o Bruno que deixam as portas abertas. Aos amigos que aqui deixei, a certeza de que tudo valeu muito a pena e que não há vitória sem sacrifício. Encerro um ciclo na empresa, mas vou continuar fazendo o que gosto, servindo sempre a minha cidade, o meu Estado e o meu País. Vida que segue. E com certeza contando sempre com os estimados que nunca me deixaram só.”

Foto: Reprodução NSC TV

Nenhum comentário: