domingo, 6 de junho de 2010

Opinião: Programas jovens de SC

As emissoras de televisão de Santa Catarina têm um espaço, até que considerado bastante em relação à televisão nacional, para os jovens. O bom, ou ruim, é que praticamente cada um desses programas não concorre por horário ou estilo de programa. Cada um tem um conceito diferenciado.

Começamos pelo mais “variado” – boto variado entre aspas, pois isso é o um dos grandes erros do programa. Logo mais, explico o porquê – programa: o Patrola, de Santa Catarina, feito pela RBS TV, que tem (tinha) a apresentação de Tatá e Marcos Assmann (foto abaixo). Um ponto positivo que há muito tempo está presente no programa é algo com responsabilidade social – campanhas, projetos, divulgações em prol de alguma necessidade. Apesar de ser líder de audiência no horário, o programa não consegue atrair o jovem em frente à televisão e depois, possivelmente, discutir o programa. Primeiro, o horário não ajuda: a Rede Globo disponibiliza o horário das 11h30 do sábado para as emissoras locais. Antigamente, o Patrola era apresentado aos sábados à tarde no atual horário do Estrelas (para o resto do Brasil, antigamente passava o Vídeo Show Especial de Sábado) Segundo, muitas vezes o programa tem que dar espaço a algum programa ou evento, geralmente vôlei, da Rede Globo – teve uma vez que o programa ficou sem exibição por um mês – fazendo o pessoal mais ‘desavisado’ esquecer do programa. Terceiro, não há pauta definida. Sempre há alguma pauta diferente semanalmente – sendo que alguns temas não são relacionados à juventude – o que faz perder a identidade do programa. Vale ressaltar que a edição e produção das matérias são bem feitas.Outro sério problema está desde começo do programa em 2000, que era comum na RBS TV até o início da década de 2000, é o lema “o que é bom lá, pode ser bom aqui”, ou seja, o Patrola do Rio Grande do Sul existe há mais tempo e lá é sucesso sempre – principalmente e atualmente pela apresentadora Rodaika e o Potter, que utiliza outros meios – principalmente a Rádio Atlântida – para divulgação dos programas. De uns tempos para cá, a RBS estuda muito bem essa ‘exportação’ e tem programas e séries exclusivos em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. A novidade do Patrola de Santa Catarina é que agora Jordana Pires, ex-apresentadora do Na Pilha, da TVCOM, divide com Marcos Assmann, também um ex-Na Pilha, talvez, assim o programa pode mudar um pouco o conceito e criar uma identidade. O Patrola de SC foi vice colocado na enquete de SulBRTV sobre o melhor programa jovem da TV de SC com 14,36%.

Na RIC Record, temos o ITSSeries . O ITSSeries não é um programa e sim um seriado, com ‘pinceladas’ de programa, adolescente. Muitos arriscam a chamá-lo de ‘Malhação Catarinense’. Mas há muitas diferenças: Cada programa é tratado um tema diferente, não há continuação. O enredo é mais realista que Malhação (me desculpem os fãs da Malhação, mas toda temporada de Malhação é sempre o mesmo enredo, só mudam os atores: O galã, a mocinha e o vilão(ã) sendo que o galã fica com a vilã até descobrir as falcatruas dela e depois ir aos beijos e abraços com a mocinha tendo um final feliz). Outro detalhe é que os atores são adolescentes mesmos. A fotografia e cenários (no Colégio Cruz e Souza e em lugares de Florianópolis) do seriado são modestos. ITS não é completamente um seriado, pois os minutos finais de cada programa, há espaço para jovens de colégios da capital catarinense darem opiniões sobre um determinado assunto e um bate-papo no fim do programa. Um dos problemas do ITS, como o Patrola, é horário: Domingo às 11h30 – o que faz muita gente recorrer à internet para poderem assistir ao programa. Outro problema é a concentração em Florianópolis tanto na série como na parte considerada ‘programa’. Poderiam utilizar as sedes e sucursais da própria RIC Record para os adolescentes do resto do estado poder participar e interagir com o programa. Cabe, aqui, ressaltar que o ITS não está apenas na televisão. Está na internet, rádio e, principalmente, na Revista - de circulação mensal e está presente em boa parte dos colégios, cursinhos de Santa Catarina com distribuição gratuita. O sucesso da revista foi grande e fez a RBS lançar em Santa Catarina o Kzuka (inicialmente lançado no RS) que possui uma ‘revista’, encarte no Diário Catarinense, e site na internet. Ambos tratam de assuntos relacionados à adolescência e mostram fotos dos colégios do estado de Santa Catarina. A RBS TV Gaúcha agora também tem uma série que se assemelha ao da RIC em Santa Catarina: a série On Line. Se vingar no Rio Grande do Sul, a RBS poderá fazer o mesmo em Santa Catarina. O ITSSeries foi o primeiro colocado, devido, principalmente, à maciça divulgação pelo Twitter, na enquete de SulBRTV sobre o melhor programa jovem da TV de SC com 60,96%.

Em Santa Catarina, na TVCOM, canal fechado do Grupo RBS, pode ver o programa Na Pilha, de segunda a sábado, às 18h. Ao contrário dos outros programas, o Na Pilha é essencialmente musical com clipes nacionais e internacionais e – principalmente – valoriza as chamadas ‘bandas de garagem’. Geralmente todo sábado é especial para as bandas locais fazerem o seu som. É a marca do programa. Notícias de séries e cinemas também é destaque no programa. Há distribuição de prêmios e brindes para os telespectadores, principalmente em época de Planeta Atlântida. Uma curiosidade é que o apresentador do Na Pilha, muito possivelmente, será apresentador do Patrola. Isso aconteceu com a Tatá, Marcos Piangers (também já foi do Patrola e atualmente está na Rádio Atlântida e TVCOM com outro programa), Marcos Assmann, entre outros e está acontecendo agora com a Jordana Pires: Está saindo do Na Pilha para apresentar o Patrola. Magali Colonetti ao lado de Rodrigo Padilha comanda o programa da TVCOM. Outro problema do Na Pilha é por estar em um canal fechado,sem muita autopromoção, mas nem por isso deixou de criar um público fiel. E será que se o Na Pilha fosse para a televisão aberta, desbancaria o Patrola? O Na Pilha foi o 4º colocado na enquete de SulBRTV sobre o melhor programa jovem da TV de SC com 11,79%.

Para encerrar, o mais caçula dos programas jovens de Santa Catarina, o Me Pule da TVBV, que tem a apresentação de Felipe Filipini e vai ao ar às 14h na terça e na quinta. Confesso que na televisão não pude assistir, mas vi alguns programas pela internet e me surpreendi positivamente. O cenário (foto ao lado) e o programa lembram o antigo Passa ou Repassa (tem até algumas trilhas iguais ao do programa do SBT). Ou seja, é um tradicional game show de perguntas e respostas. E melhor: com várias perguntas referentes a Santa Catarina e participantes de muitas escolas de Santa Catarina. O programa, ao vivo, é muito bem executado. Sempre fiz questão de elogiar a grande estrutura que a TVBV possui em Santa Catarina. E foi muito bem utilizada no programa. Um dos problemas do programa é a duração. Geralmente Games Show têm uma hora de duração, o Me Pule tem apenas meia hora e também há uma falta de promoção. Game show é sempre uma boa opção de programa na televisão. E de forma regionalizada, melhor ainda. Parabéns à TVBV. O Me Pule foi o 3º colocado na enquete de SulBRTV sobre o melhor programa jovem da TV de SC com 12,89%.

A televisão catarinense está muito bem servida de programas para os jovens. No âmbito nacional, há poucos programas como o Altas Horas da Rede Globo, Plugin da TV Cultura e alguns programas da MTV. Vale ressaltar que o jovem não está interessado em ficar parado e assistir a um programa de televisão. Ele quer interatividade com a internet, revista, festas e muito mais. Os programas precisam disso e os jovens procuram isso.

'Esse texto não demonstra, necessariamente, a opinião do Blog SulBRTV.'

Imagens: Divulgação ClicRBS (Patrola) | Divulgação RIC Record (ITSSeries) | Banda Nolie (Na Pilha) | Bruno Martins (Me Pule)

9 comentários:

Marcos Gil disse...

Excelente texto! Realmente de primeira.

Gostaria que se possível, o Blog realizase um texto sobre o furo que o SBT SC deu na programação da Rede durante a Festa do Pinhao no estado.

Cortes grotescos na grade, programas da rede gravados e rodados na MADRUGRA, um grande absurdo. Gosto da festa, mas sei q muita gente não, e ficar duas até três horas no ar e cortando a grade da rede não da. Fora que ontem exibiram o final da festa ao vivo, gravaram o silvio a estreia da Gabi que horas entrou?

Absurdo. Grande Abraço e parabéns pelo trabalho de vocês.

Micael disse...

O horário do Patrola deve ser politicagem da RBS com a Rede Globo, porque em nenhuma afiliada do interior de São Paulo Estrelas é exibido. Na TV TEM inclusive tem um programa direcionado para o público jovem no horário das 14 horas, o Revista de Sábado.

Programa ME PULE disse...

Parabéns pelo artigo Giorgio, e quanto a promoção do programa Me Pule, em breve a emissora fechará com uma agência para divulgar melhor o produto que já vem caindo no gosto da galera! Um abraço, Felipe Filipini.

Giorgio Rosso Guedin disse...

Olá, Marcos Gil. Infelizmente assisto pouco ao SBT SC, mas essa história de interromper programação nacional para transmissão de eventos é totalmente comum no SBT SC, desde os tempos da antiga Rede TV! Sul. Deve, com toda certeza, dar um bom retorno financeiro ao SBT SC.Eu, particularmente, não gosto muito dessas interrupções, mas de outro lado valoriza as festas catarinenses. Mas assisti ao 'De Frente com Gabi" e pelo que vi, me parece que começou no horário normal, a meia noite de segunda, sem cortes do SBT SC.


Micael, eu sinceramente não sabia dessa maciça não exibição do Estrelas por todo o Brasil. no Sul do Brasil, os três estados passam normalmente o Estrelas.


Obrigadopela audiência, Felipe! Tomara que dê certo essa parceria com a agência de publicidade, pois o programa é excelente. Falta divulgação.

Phil Rocha disse...

Muuuito bom o seu texto e muito legal a sua iniciativa. Isso sempre ajuda nós, realizadores, a querer fazer mais e mais.

Defendendo, de leve, o its... Existe espaço para interatividade de pessoas de outras partes do estado. Tanto é que, se reparar, naqueles quadros de opinião pública temos sempre 1 colégio de Florianópolis e 1 de outra cidade, geralmente onde temos a RIC como Xanxerê, Chapecó, Itajai, Blumenau, Joinville e Balneário Camboriu.
Muito legal mesmo o texto. Valeuuu! :)

Giorgio Rosso Guedin disse...

Obrigado pelas palavras, Phil

Eu, sinceramente, não vi participação de outras cidades nos últimos 3 programas do ITS (que serviram como base do meu texto)

Abraço!

Anônimo disse...

Na Realidade tudo que vc disse aí, é cópia de alguma coisa, nada novo e tudo repetido, a RBSTV #patrolasc deu um tiro no seu próprio pé, se era para ter uma identidade porque se tirou a Tata então e colocou a pseudo atrapalha e voz chatinha da Jo Pires? Sem a globo a RBS não vive, portanto tem que aceitar o horário imposto e o mesmo vai acontecer "se" copiar o "on line" dos gaúchos, o ITSSeries seria uma produção piloto do palhação, é terrível de assistir, é nítido que falta sincronia nos pseudos atores, chega a ser comparada por muitos com as novelas mexicanas de quinta categoria, o "Me Pule", eu já pulei e nem pretendo assistir de tão ruim que já vi, Passa ou Repassa não lembra não, é cópia descarada mesmo (rs) nem o Na Pilha que toca mais musica de fora do que de SC se salva, mesmo porque, so quem tem NET TV A CABO tem o canal, mais um tiro no seu próprio pé da RBSTV, o fim esta próximo (rs)

Giorgio Rosso Guedin disse...

Que nervosismo hein, anonimo.

Geovanni Bastos disse...

Sinceramente, não acho que o Patrola seja um bom programa, até pq não muda, é sempre a mesma coisa, a mudança de apresentadores (que nem participam de teste) tras sempre jovens pseudo jornalistas que fingem entender o mundo do entretenimento e da música. O it´s é interessante, o Na Pilha vale a pena, porque quem diz que não valoriza as bandas de SC está errado, uma pena ser tv fechada, esse tal "me pule" nem faço ideia do que seja. Enfim. Parabéns pelo Post. Abraços ;)