sábado, 24 de setembro de 2011

Artigo: TVs catarinenses em solo gaúcho

Por Daniel Pigatto*

O modelo de trabalho da maioria das afiliadas à Rede Globo espalhadas pelo país é definido pelos limites territoriais dos estados. Em estados muito populosos, ocorrem subdivisões que são concedidas a diferentes afiliadas, como acontece em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. No Sul do Brasil, a RBS TV se divide em duas para cobrir separadamente os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, enquanto que a RPC TV faz a cobertura completa do Paraná. As emissoras concorrentes buscam copiar o modelo que, visivelmente, é o mais adequado: regionalização. Porém, apesar desta ainda ser uma realidade distante para muitas destas emissoras, no passado as coisas eram ainda mais confusas.

Na cidade de Erechim e boa parte da região do Alto Uruguai, no Norte gaúcho, até por volta do ano de 2005, afiliadas catarinenses de algumas emissoras “invadiam” os limites estaduais, como é o caso da extinta TV Catarinense, para oferecer sinal à população da região. Com geração em Joaçaba/SC, a então afiliada à TV Bandeirantes para todo o Oeste catarinense, efetuava cobertura também do Norte gaúcho. Mas engana-se quem acha que ela ignorava os interesses desta população, muito pelo contrário. A emissora mantinha repórter e cinegrafista em solo gaúcho para enviar as principais notícias locais à geradora de Joaçaba, que distribuía, então, para toda a região. Além disso, parte da programação da emissora entrava em cadeia estadual com a TVBV de Florianópolis, momento no qual programas como César Souza eram exibidos. Recentemente, a TV Catarinense foi comprada pelo Grupo RBS e tornou-se RBS TV Centro-Oeste.

Mesma situação era a do SBT de Lages (atual SBT Santa Catarina). Afiliada à emissora de Silvio Santos, esta geradora não investia em jornalismo para o Norte gaúcho, mas levava o sinal da então vice-líder nacional para a região. Consequentemente, publicidade direcionada à população de cidades mais importantes como Erechim eram veiculadas durante a programação. Aproximadamente um ano depois da estreia da RedeTV! em São Paulo, o SBT Lages filiou-se à emissora e passou a se chamar RedeTV Sul!. Toda a região de cobertura do SBT Lages ficou sem sinal do SBT nacional. Mais de um ano depois, Erechim começou a receber o sinal de uma sucursal do SBT RS, de Porto Alegre, porém sem nenhuma intervenção local, nem mesmo de publicidade, cenário que permanece igual até os dias de hoje.

Atualmente, Erechim e região têm sinal da RBS TV Erechim, que produz jornalismo local; do SBT RS; da Band RS; da TVE RS; e da TV Pampa Norte, com geradora em Carazinho e produção de jornalismo local (possui, inclusive, escritório em Erechim). Das cinco principais emissoras nacionais, apenas a Rede Record não possui sinal na cidade com população aproximada de 96 mil habitantes.

*Daniel Pigatto é natural de Erechim/RS, mestrando em Ciências de Computação pela Universidade de São Paulo (USP), editor do blog TCHÊcnologia, site parceiro de SulBRTV, e admirador de mídias em geral.

Se você possui uma história interessante sobre a televisão no Sul do Brasil, entre em contato com a gente. Publicaremos com o devido crédito. Participe!

Imagens: Logotipo da extinta TV Catarinense (Divulgação Rádio Catarinense) e cidade de Erechim, RS (Vitor Rossi).

Compartilhe:

4 comentários:

Gui disse...

Aqui onde moro, em Tapejara - RS, o sinal da TV BV é o sinal da Band local que temos.

Daniel F. Pigatto disse...

Gui, eu sabia que alguns municípios continuaram com o sinal da TVBV, mas não sabia quais.

Me diga uma coisa: existe alguma espécie de jornalismo que 'abrace' o norte gaúcho ou não?

Cassio disse...

Eu era muito fã da TV Catarinense, realmente é uma pena que deixou de existir. A programação era muito ativa, melhor até, que a própria RBS TV.

Daniel F. Pigatto disse...

Concordo Cassio, na época a RBS TV Erechim tinha uma concorrente. Pena que o próprio Grupo RBS comprou.